Publicidade topo

Barreto destaca a necessidade de o RN aprender a conviver com a seca e produzir

Via Caderno Mil 

Professor da Universidade Federal Rural do Semiárido (Ufersa) e candidato a deputado estadual Professor Barreto (DC) assegurou que os períodos de estiagens na nossa região não deveriam ser motivo de grandes preocupações, se fosse implementada uma política de atenção especial à convivência com a seca.

Segundo ele, os governos não têm o cuidado e a vontade política de trabalharem essa questão, além de que também não existem projetos no legislativo direcionados a real necessidade de manter o homem no campo e oferecer suporte ao produtor rural.

“Os estudos mostram que há mais de 50 anos, o semiárido convive a cada 6 ou sete anos com período de chuva, mas os governos preferem manter a indústria da seca através do carro-pipa”, frisou, ao criticar a prática. “Não se preparou para a seca”, completou apontado medidas que poderiam já terem sido tomadas para cuidar da agricultura e da produção rural de uma forma geral, motores do desenvolvimento.

Em entrevista no final à tarde, ao programa Evidência, na FM Fraternidade em Umarizal, Barreto destacou projetos e ações que pretende agilizar caso chegue a Assembleia Legislativa, como incentivo à captação de água e perfuração de poços. Ele lembrou que na maioria das vezes fica muito mais caro levar água ao campo através de carros-pipas, do que perfurar e instalar poços em áreas distintas da zona rural.

Por outro lado, a construção de açudes de maior profundidade em outros pontos devidamente pesquisados em proporção à população de cada área seriam formas de evitar os transtornos a cada ano. Tudo isso levando o conhecimento de universidades.

Tendo como bandeiras principais a atenção ao campo e a educação, Barreto ressaltou que o Rio Grande tem grandes potencialidades e talento para se desenvolver com o aproveitamento real de suas riquezas, e que está disposto a acrescentar ideias no sentido de melhorar a vida das pessoas.

Durante a entrevista ao radialista Agmar Dutra, o Professor Barreto também falou sobre a necessidade de se inserir projetos a curto, médio e longo prazo para atenuar a questão da falta de segurança, e ainda de mais transparência na aplicação dos recursos públicos como forma de atenuar os problemas na área de saúde.

Ao confessar sua condição de municipalista, ele ressaltou a necessidade de os municípios receberam recursos para gerir e procurar soluções para inúmeros problemas sofridos pelo povo, já que as esferas estadual e federal demoram a alcançar, como ações de cidadania que reflitam na autoestima da população.

O Professor Barreto tem intensificado visitas a vários municípios do Rio Grande do Norte, levando sua mensagem de inovação e de compromisso. “Saí da minha área de conforto para atender a um chamado para contribuir com o nosso estado, e estou disposto e com muita vontade de servir”. 
Tecnologia do Blogger.