Publicidade topo

Haddad diz que acha ‘difícil’ considerar Bolsonaro um ‘concorrente sério’

O candidato a vice-presidente pelo PT, Fernando Haddad, defendeu nesta terça-feira a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e disse que é “difícil” considerar Jair Bolsonaro, candidato pelo PSL, um “concorrente sério”.

“Nossa convicção é de que o Lula seria o melhor condutor da saída da crise. Tem respaldo de quase 50% dos eleitores que pretendem votar”, afirmou Haddad, após participar de atos de campanha no Rio.

Segundo Haddad, o apoio a Lula nas intenções de voto tem sido uma demonstração de que o PT poderia “derrotar o golpe moralmente”. Por isso, “vários analistas já registraram que o Lula já ganhou as eleições”.

“Resta agora o País ganhar as eleições. Para o País ganhar, o País tem que atender a recomendação da ONU”, afirmou Haddad, se referindo à recomendação da Comissão de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas para que Lula seja autorizado a concorrer nas eleições. O governo Michel Temer e o PT divergem quanto à obrigatoriedade da recomendação. “Não é qualquer coisa, é um tratado aprovado pelo Congresso Nacional”, disse Haddad.

Questionado sobre até quanto o PT manteria Lula como candidato, apesar de todas as indicações de ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de que a candidatura será impugnada, Haddad afirmou que o partido aguardará. “Vamos aguardar a decisão do TSE e do STF”, disse o candidato a vice.

Ao comentar a disputa eleitoral, Haddad demonstrou preocupação com a falta de propostas de Bolsonaro, líder nas pesquisas de intenção de voto nos cenários sem o ex-presidente Lula. Segundo o ex-prefeito de São Paulo, quando perguntado sobre “qualquer coisa”, Bolsonaro “não sabe responder”.

“Quando ele parar de ofender e fizer propostas, talvez eu vá ter uma interlocução com ele”, afirmou Haddad. “É muito difícil considerar Bolsonaro um concorrente sério”, completou.

*Via Política na Rede  / Imagem: Reprodução / Twitter
Tecnologia do Blogger.