Publicidade topo

Acompanhado de Garibaldi e Jácome, Carlos Eduardo retorna a Mossoró em busca do apoio de Rosalba

Erinaldo Silva / REDE NEWS 360

Em busca do apoio da prefeita Rosalba Ciarlini (PP), o ex-prefeito de Natal e pré-candidato ao governo do Rio Grande do Norte Carlos Eduardo Alves (PDT) se encontra mais uma vez na capital do Oeste, Mossoró, na manhã deste sábado (30).

Acompanhado do senador e pré-candidato a reeleição Garibaldi Alves Filho (MDB), do deputado federal e pré-candidato ao Senado Antônio Jácome (PODE) e de outras lideranças, o governadorável falou com exclusividade ao REDE NEWS 360, quando avaliou a chegada de Jácome ao seu agrupamento político, respaldado pelo segmento evangélico potiguar, nesse momento decisivo de articulações.


“Antônio Jácome tem uma trajetória vitoriosa. Ele foi vereador de Natal, deputado estadual, vice-governador e agora está deputado federal. Lidera o Podemos, que aglutina forças políticas na capital e no interior. Além disso, é um dos líderes importantes do segmento evangélico no Rio Grande do Norte. E eu não tenho dúvida, até porque isso a gente ouve em toda parte, que a chegada de Antônio Jácome, para nossa coligação, deu mais representatividade política, eleitoral, e nos aproximou de um segmento importante, que representa hoje 25% dos norte-rio-grandenses. Então, com ele como candidato a Senador, ao lado de Garibaldi, nos estamos com uma chapa majoritária bastante competitiva para ganharmos a eleição”, avaliou Carlos Eduardo.

Sobre a expectativa do apoio do grupo governista mossoroense, liderado pela prefeita Rosalba Ciarlini (PP), que comanda o segundo maior colégio eleitoral do Rio Grande do Norte, Carlos Eduardo se mostrou otimista, mas deixou claro que ainda não há definição.

“Nós estamos conversando, o que é natural dentro desse processo político, é próprio da democracia, na véspera das convenções, os partidos conversarem, procurarem pontos em comum, para que façam coligações e disputem a eleição. E nesse sentido eu tenho buscado o apoio do PP, que tem à frente a liderança expressiva de Rosalba Ciarlini, prefeita da segunda maior cidade do Rio Grande do Norte, uma líder inconteste, prefeita de Mossoró pela quarta vez e, eu sei mensurar isso, pois fui prefeito quatro vezes em Natal, então, eu quero lhe dizer que essas conversas elas tem acontecido, dentro da maior simpatia, mas na realidade ainda não houve um desfecho. Há sinais positivos, os quais indicam que poderemos fazer uma coligação com o apoio do PP, com o apoio de Rosalba, mas ainda está em processo de diálogo, de conversação”, esclareceu.

Recorrendo a sua ampla experiência em gestão pública executiva, de quem administrou por quatro vezes a capital potiguar, Natal, Carlos Eduardo mostrou-se convicto de que está preparado para vencer o desafio e contornar a situação de caos na qual o Rio Grande do Norte se encontra. Para ele, os problemas do RN se agravaram devido à falta de eficiência da atual gestão.

“Administramos por quatro vezes o segundo maior orçamento do Rio Grande do Norte e, para lhe dar um exemplo ilustrativo do que isso representou a primeira eleição nós ganhamos com pouco mais de 2%, em todas as outras eleições as maiorias cresceram, e em 2016 foi a maior vitória eleitoral da história de Natal, quando vencemos no 1° turno com 64% dos votos. Então, eu quero dizer a você que eu tenho experiência em administrar. Natal é uma cidade que cresceu e eu vou mostrar isso. Vou mostrar o quanto Natal cresceu na sua infraestrutura e melhorou a qualidade de vida da população. Precisamos fazer no Rio Grande do Norte o que fizemos em Natal, a partir de quando assumimos a prefeitura no ano de 2013, que foi pegar uma cidade de cabeça para baixo, totalmente caótica, totalmente falida, em colapso, e reerguemos a cidade. Natal hoje é uma cidade que sofre os problemas que sofrem as capitais do Brasil inteiro com a crise, mas é uma cidade que paga em dia seus servidores, onde a saúde e a educação funcionam, a assistência social funciona, há investimentos na infraestrutura, nós temos políticas de apoio ao turismo, à cultura e assim por diante. Chegando ao governo do Rio Grande do Norte, nós temos a cresça que vamos arrumar essa casa, fazermos o estado voltar a crescer e criarmos empregos. Os problemas do nosso estado se agravaram e muito nos últimos anos por falta de gestão. Há na realidade uma falta de gestão, há um desgoverno e é muito visível isso, porque nada funciona nesse governo, a saúde não funciona, na educação, os índices revelados pelo IDEB mostram que nós somos um dos lanterninhas do Brasil e, na questão do desenvolvimento econômico, dos 26 estados brasileiros nós somos o 25º, só a frente do Sergipe, o Rio Grande do Norte só tem decrescido e nós precisamos mudar essa história. Agora, evidentemente, eu não tenho varinha mágica, eu tenho experiência e muita disposição para o trabalho. Nós vamos precisar da bancada federal, das instituições, porque o Rio Grande do Norte está no fundo do poço e só se levantará com trabalho e união de todos”, concluiu Carlos Eduardo.

Imagem: Reprodução
Tecnologia do Blogger.