Publicidade topo

Clima tenso em Triunfo Potiguar leva moradores a fazer vigília temendo arrombamento de açude nesta noite


Os moradores do município de Triunfo Potiguar, no Médio Oeste, estão em vigília e em sinal de alerta, devido a possibilidade do rompimento de uma barragem que dá suporte ao açude Juremas, também conhecido como açude de Jerônino Veras, que vem recebendo água de forma acelerada. Moradores da área ribeirinha já estão deixando suas residências devido ao problema e as aulas da rede municipal foram suspensas para que as escolas fiquem à disposição das famílias desabrigadas. 


A intensidade das chuvas provocou o aumento do volume das águas no açude Juremas, que na tarde deste domingo, se agravou com a elevação do nível. Por volta das 16 horas, máquinas escavadeiras estiveram fazendo um serviço de drenagem para evitar que a barragem parta ao meio, mas o problema não foi solucionado.

     * LEIA TAMBÉM: Nível das águas baixa após providências, mas perigo de enchente continua preocupando moradores em Triunfo Potiguar

Ainda durante a tarde, a secretária municipal de educação, Angela Pereira, fez a distribuição de um comunicado suspendendo as aulas amanhã, segunda-feira.


No início da noite o clima passou a ficar cada vez mais tenso, já que muitas famílias estavam resistindo a deixar suas casas. Por volta das 19 horas, a Polícia Militar montou uma barreira em frente ao hospital, enquanto policiais batiam de porta em porta orientando as pessoas a deixaram suas residências para se abrigarem nas escolas livres do perigo das cheias.

O sinal de alerta foi intensificado através de grupos no Whatsapp. As informações são de que, caso haja o rompimento, grande parte da cidade será atingida, inclusive os arredores da igreja Matriz.

A Prefeitura vem desenvolvendo um esforço concentrado contando com ajuda de voluntários. Uma equipe de técnicos está no local tentando tirar novas camadas de barro da barragem para facilitar o escoamento da água para desvio do rumo da cidade.

“O clima é de muita apreensão”, disse um morador ao MOSSORÓ AGORA. “Se esse açude romper grande parte da nossa cidade será atingida”, completou.

Gilberto de Sousa
- da Redação
Fotos: Cedidas
Tecnologia do Blogger.