Publicidade topo

Reta final determina reviravolta no processo sucessório estadual


A reta final do movimento de bastidores com vistas às eleições deste ano começa a determinar uma reviravolta no processo. Caminhando para a disputa do governo estadual, tanto o vice-governador Fábio Dantas (PSB), quanto o prefeito de Natal, Carlos Eduardo (PDT), já admitem inverter o rumo para enfrentar a briga pelo Senado.

Pesquisas internas em mãos do prefeito Carlos Eduardo indicariam uma bipolarização acirrada entre ele e o provável nome do Solidariedade ao governo, o deputado estadual Kelps Lima, dentro da grande Natal, principal área de atuação de Carlos Eduardo. E isso passaria a exigir mais esforço para se posicionar melhor nesse quadro.

Em paralelo vem o desestímulo do senador Garibaldi Filho (MDB), alinhado com o primo Carlos Eduardo, no sentido de disputar a reeleição. Nesta Semana da Páscoa, os comentários nas rodas de conversas políticas em Natal são fortes, apontando que, caso decida mesmo deixar a Prefeitura até o dia 7 de abril, Carlos Eduardo pode entrar na corrida para o Senado, buscando nesse contexto aglutinar o patrimônio eleitoral do primo além do seu próprio prestígio. Mas nesse caso, formando com a senadora Fátima Bezerra(PT), e na dobradinha com a deputada Zenaide Maia (PHS), pré-candidata ao Senado, consolidando assim a principal chapa da oposição, acomodação que acabaria forçando o senador José Agripino (DEM) ao isolamento na formação que estava anteriormente em curso.

Já o vice-governador Fábio Dantas(PSB), que apesar de conhecido como bom articulador, parece não ter conseguido realçar seu projeto. E segundo indicações, teria uma conversa marcada com o deputado Kelps Lima, quando discutiriam apoio recíproco ou para a cabeça da chapa ou ainda, em caso de melhor posicionamento de Kelps, sua migração para disputar o Senado nessa aliança. Mas o tabuleiro ainda não estaria pronto para o jogo, pois restaria o aceno do PSDB nessa conjuntura com o ex-senador Geraldo Melo, que deverá desembarcar no partido dos tucanos na segunda-feira, com aval para tentar voltar ao Senado.

O PSDB, robusto, também indicaria o candidato a vice na possível composição, enquanto a ex-atleta Magnólia Figueiredo, atual pré-candidata ao Senado, seria acomodada como candidata a uma vaga na Assembleia Legislativa respaldada na base de Kelps Lima.

Flávio Rocha deve ter palanque com Robinson no Rio Grande do Norte


Em outra ponta, o ingresso do empresário potiguar Flávio Rocha no Partido Republicano Brasileiro (PRB), com o propósito de concorrer à Presidência da República, deverá dar fôlego ao governador Robinson Faria (PSD). O prenúncio do racha entre MDB, PDT e PSDB em gestação, também pode favorecer as novas articulações.

O PRB, através do comando estadual já vinha se alinhando com o governador Robinson Faria, que por sua vez, apesar do desgaste administrativo, tenta recuperar a imagem com o implemento de ações e não tem falado em recuar da tentativa de consolidar a reeleição.

Robinson perdeu substancialmente força política e aliados, e procura se reinventar para figurar melhor nesse quadro político.

Grupo de Rosalba segue sendo assediado para uma composição


Enquanto são pavimentados os caminhos que vão nortear a sucessão estadual, as atenções não deixam de se voltarem a Mossoró pelos variados grupos, no assédio, principalmente a  prefeita Rosalba Ciarlini (PP).

Haveria convites de todos os lados sugerindo a indicação de nomes numa composição. Os agrupamentos entendem e as sondagens eleitorais são claras sobre a necessidade de a sucessão passar por Mossoró.

Por enquanto, o grupo da prefeita de Mossoró mantém o silêncio e apenas observa o contorno que o quadro sucessório deverá tomar.

Já o empresário Tião Couto, que disputou a Prefeitura de Mossoró pelo PSDB, deve deixar a sigla e ingressar no PRB. Ele tem conversado com o empresário Flávio Rocha e chega a admitir desembarcar  na sigla, mas não sabe ainda que cargo deverá disputar.

Assim como Tião Couto que deverá mudar de partido e de rumo, a deputada mossoroense Larissa Rosado sairá do PSB para entrar justamente no PSDB  e sair candidata a reeleição, tendo também como compromisso, assumir o comando do PSDB mossoroense, hoje nas mãos de Tião.

Clorisa Linhares mantém postulação ao governo


Mesmo com os problemas que vêm sendo enfrentandos para levar adiante o projeto de disputar o governo, a vereadora de Grossos, Clorisa Linhares (PSDC), mantém a postulação e deve definir  a concretização ou não, até a próxima semana, já que busca formatar alianças.

“Se problemas numa empreitada dessa envergadura, desse naipe existiram, existem ou existirem, não será surpresa para nós. Desde sempre estivemos preparados”, frisou um importante aliado da pré-candidata, ao descartar informações de matéria anterior, sobre a possibilidade de Clorisa vir trabalhando para disputar a Prefeitura de Grossos em processo futuro.

Gilberto de Sousa 
- da Redação
fotos: Reprodução
Tecnologia do Blogger.